Metamorphoses

http://4.bp.blogspot.com/_v1vbYSG8Dq8/TR1UO6KZi6I/AAAAAAAADkQ/tSIK-Mmg_18/s1600/metamorphoses.jpg

Sinopse


Em 1917, durante a Revolução Russa, três jóias valiosíssimas desaparecem misteriosamente. Já em 2004, uma delas reaparece em poder de Circe Cipriatis, uma das proprietárias da Metamorphoses, uma clínica de estética e cirurgia plástica. Lia, filha bastarda do fundador da clínica, esconde detalhes de sua vida e das duas meias-irmãs, Circe e Diana.

Circe casa-se com Takashi Mifume, um integrante da Yazuka, a temida máfia japonesa. Vai em lua-de-mel para o Japão e lá, pressionada pelo marido é obrigada a operar um chefão do crime mudando o seu rosto. Auxiliada por Mifune, foge para o Brasil e traz na bagagem, sem saber, uma jóia misteriosa. Na chegada é perseguida por criminosos e sofre um acidente de carro com a irmã Lia. Lia morre na tragédia e Circe toma o lugar dela. Circe passa por um transplante de face e recebe os tecidos de Lia, cirurgia essa feita por sua irmã Diana. Enquanto Lia morre, Circe acorda da cirurgia amnésica e de rosto novo.

Circe terá que viver com a identidade e o rosto da irmã caçula e assim, enganar a todos que ama. A máfia japonesa continuará procurando a jóia, que no acidente desaparece, e passa a correr nas mãos dos demais personagens gerando uma busca incansável da máfia pelo tão cobiçado objeto. O entrecho policial fica a cargo do detetive Marcos Ventura, o responsável pela investigação do sumiço da jóia.

Elenco

Ator Personagem
Paulo Betti Marcos Ventura
Vanessa Lóes Lia / Circe
Luciano Szafir Lucas Mendonça
Luciene Adami Diana Sartori
Francisca Queiroz Ana Valentina
Zé Carlos Machado Carlos Rabelo
Talita Castro Nina
Rodrigo Lombardi Fábio Fraga
Maria Ribeiro Patrícia
David Cardoso Jr. Eduardo (Dudu)
Ilana Kaplan Joseane
Tallyta Cardoso Tallyta
Mariana Dubois Valéria
Fabiana Alvarez Maria Rita (Ritinha)
Eda Nagayama Júlia
Fernando Pavão Ivan
Edson Montenegro Sérgio (CG)
Fábio Yoshihara Toru
Ken Kaneko Aoki
Lívia Rossi Daniela
André Ricardo Tico
Sidney Santiago Xarope
Nill Marcondes Jamanta
Míriam Freitas Sueli / Yedda
Liu Fusushima Okima
Atriz convidada
Ator Personagem
Lígia Cortez Lia / Circe
Ator convidado
Ator Personagem
Kissei Kumamoto Takashi Mifune / Nikki Mifune
Apresentando
Ator Personagem
Domingos Meira Diogo
Participação especial
Ator Personagem
Zezé Motta Prazeres da Anunciação
Lúcia Alves Isabela Franco (Bel)
Suely Franco Lourdes
&
Ator Personagem
Joana Fomm "como" Margot
Gianfrancesco Guarnieri "como" Dr. Eugênio Alencastro
Myrian Muniz "como" Aspásia

Personagens

Circe Diana Lia

Lucas Margot Marcos

Mifume Tallyta Eugênio

Valdirene Ângelo Kelly

Fonte: Reprodução / Rede Record

Bastidores

Metamorphoses reativou o núcleo de teledramaturgia da Record, desativado desde 2001, quando foi ao ar a novela Roda da Vida. Ao contrário de sua última incursão no gênero, Metamorphoses foi fruto de uma parceria entre a Record e a produtora Casablanca, iniciada há três anos com a série A Turma do Gueto.

A decisão de voltar aos folhetins fazia parte da estratégia para atingir uma faixa mais ampla da audiência e tentar superar o SBT (o segundo lugar) em ibope e faturamento. O que acabou não acontecendo.

Na semana de estréia, a novela teve média de 6 pontos de audiência. O primeiro capítulo teve média de 11 pontos com pico de 17. No entanto, o desempenho da atração não se manteve. Desde abril a novela vinha apresentando uma audiência média que oscilava entre 2 e 3 pontos.

A principal explicação para este fiasco estava no próprio texto. A trama rocambolesca era contada de forma linear, como se fosse um filme. Os folhetins, desde sempre, têm a característica de a cada capítulo recontar toda a trama para quem está vendo, ouvindo ou vendo pela primeira vez. Tanto que é possível acompanhar qualquer novela normal assistindo a um capítulo por semana, por exemplo. O que Metamorphoses fez é desprezar a técnica desenvolvida desde os primeiros folhetins. E conseguiu com isso afastar quem não é telespectador assíduo.

A Record inovou na data de estréia de sua produção: um domingo (14/03/2004), às 20h15. Pelo horário e pelo estranho dia da estréia, percebeu-se que a Record não queria briga com Celebridade, concorrente global no horário na época. A tática era roubar a audiência do Jornal Nacional enquanto a novela de Gilberto Braga não entrava no ar.

A emissora investiu pesado para divulgar Metamorphoses. Foram mais de R$ 1 milhão gastos em outdoors e anúncios em revistas e jornais.

Além da pesada campanha publicitária, Metamorphoses começou cercada por uma polêmica. Mário Prata foi chamado pela diretora Tizuka Yamasaki para ser o autor da trama, mas abandonou o projeto por interferências, segundo ele, da dona da produtora Casablanca, Arlete Siaretta, parceira da emissora na produção da novela. Uma equipe de seis escritores deu forma às cenas e assinou conjuntamente com o pseudônimo de Charlote K.

Três sinopses de Metamorphoses teriam sido desenvolvidas. Uma de Arlete Siaretta, outra de Marcílio Moraes e uma terceira de Mário Prata - que, segundo ele, foi baseada na idéia original de Arlete. Depois de alguns ajustes, a sinopse foi aprovada e Mário estaria responsável pela trama. Após anunciada a saída do autor, porém, a Casablanca declarou que ele só foi contratado para escrever os dez primeiros capítulos e que seu contrato expirou em dezembro.
Mário Prata também deu sua versão: "Estava no oitavo capítulo quando recebi o primeiro reescrito e vi que Arlete inseriu cenas da sinopse dela. Se o resultado fosse bom, eu ficaria quieto. Mas não era o caso...", destilou o autor.

A novela foi rodada em alta-definição (HDTV), um recurso que dá mais qualidade à imagem da televisão, aproximando-a do cinema. Com esse sistema, cada capítulo não saiu por menos de 40 mil dólares.

A emissora apostou numa experiência ousada, misturando ficção com realidade. Alguns artistas passaram por cirurgias plásticas na vida real, que foram gravadas e usadas dentro da trama, numa espécie de reality show.

As atenções também se voltaram para a estreante em novelas Tallyta Cardoso, 26 anos, filha do ator David Cardoso. A atriz foi submetida a cirurgias plásticas realizadas pelo cirurgião Evaldo Bolivar de Souza Pinto e exibidas na novela.

Para as gravações, a Casablanca produziu um núcleo de teledramaturgia em uma casa na região do Ibirapuera, em São Paulo, onde foram locados os sets de Metamorphoses. A casa foi adaptada e redecorada para atender aos núcleos da novela, entre eles o da Clínica Methamorphoses e o do restaurante oriental onde se passava parte da trama.

O tema de abertura oficial de Metamorphoses era a música Olhar de Mulher, interpretada por Leila Pinheiro. Mas ainda no início da novela, o tema de abertura passou a variar: outras músicas da trilha sonora foram tocadas alternadamente.

Numa tentativa de salvar a novela, a escritora Letícia Dorneles foi contratada para dar continuidade à trama. Para tanto a autora eliminou a maioria das tramas paralelas e personagens. Paulo Betti deixou a novela em sua "nova fase", em junho, assim como Vanessa Lóes e os japoneses da Yakuza. Quase todo o elenco foi renovado. Permaneceram apenas Luciano Szafir, Luciene Adami, Zezé Motta, Talyta Cardoso e Domingos Meireles. Mas a audiência não melhorou.

A Record decidiu então dar um ponto final na trama. A novela terminou com 20 capítulos a menos do previsto e a maioria dos personagens não teve o desfecho apropriado. Os autores e elenco de Metamorphoses não foram informados com antecedência do encurtamento da novela. Segundo a atriz Rosaly Papadopol, os atores foram interrompidos no meio de uma gravação e convocados a uma reunião:
"Fomos informados de que gravaríamos apenas até sexta-feira (6) e depois estávamos dispensados. Todos ficaram passados, não sabiam se riam ou choravam. A novela não vai ter desfecho nenhum. Acho um desrespeito com os atores, técnicos, dramaturgos e telespectadores."

A iniciativa de encurtar a trama partiu da Record. De acordo com seu contrato com a Casablanca, a Record encomendou um produto que poderia ter até 144 capítulos, mas não obrigatoriamente todos eles.

No último capítulo, gravado em sigilo, Vanessa Lóes, que tinha deixado a trama, estava de volta. O elenco da segunda fase não gravou o fim de seus personagens - um narrador explicou o que aconteceu com cada um deles. Os únicos atores que gravaram o último capitulo, além de Vanessa Lóes, foram os que participaram das duas fases da novela.

Créditos

Record - 20h15
de 14 de março a 27 de agosto de 2004
122 capítulos
novela de Arlete J. Gaudin
escrita por Yoya Wursch, Jaqueline Vargas, Mireille Gaudin de Moraes e Vívian de Oliveira (1ª fase)
e Letícia Dornelles (2ª fase)
direção de Pedro Siaretta, Tânia Lamarca, João Camargo, João Biscalchini e Vicente Barcellos
direção geral de Pedro Siaretta
núcleo Charlotte K.

0 comentários:

Postar um comentário

Poste aqui seu comentário.