Tempos Modernos

http://2.bp.blogspot.com/_v1vbYSG8Dq8/S-Du0eMahNI/AAAAAAAACL4/BmYZm4bfaIM/s1600/tempos+modernos.jpg

Sinopse

Leal Cordeiro (Antônio Fagundes) é um homem milionário, que certo dia decidiu construir o Titã, um gigantesco edifício, em São Paulo. Só que Hélia Pimenta (Eliane Giardini), uma antiga paixão sua do passado, é contra esse projeto, e planeja impedir que o mesmo avance na construção.

Ela se vê em determinado momento, novamente na vida de Leal, onde o coração de ambos voltarão a bater mais forte um pelo outro, mesmo estando em lados opostos quanto suas opiniões e maneiras de levar a vida.

No meio desse amor mal resolvido, Hélia e Leal precisam cuidar ainda de seus filhos.

Leal é pai de três filhas: a perua Regeane (Vivianne Pasmanter), a mimada Goretti (Regiane Alves) e a caçula desajuízada Nelinha (Fernanda Vasconcellos). Hélia é mãe de Zeca (Thiago Rodrigues), um jovem de princípios.

O destino fará, ironicamente, com que Nelinha e Zeca se apaixonem, mas não antes de sofrerem por conta da noiva de Zeca, Nara (Priscila Fantin), que planeja impedir a felicidade desse casal.

Enquanto isso, Regeane, a filha mais velha de Leal, comprometida com Albano (Guilherme Weber), que finge amá-la e mantém um caso extraconjugal com sua colega de serviço, a vilã Deodora (Grazi Massafera), onde ambos só planejam roubar todo o dinheiro de Leal, elaborando diversos planos malignos, se vê cada vez mais envolvida com Portinho (Felipe Camargo), seu ex-marido, tendo que reviver velhos sentimentos do passado para poder seguir em frente no futuro.

Elenco

Ator Personagem
Antônio Fagundes Leal Cordeiro
Eliane Giardini Hélia Pimenta
Fernanda Vasconcellos Nelinha Cordeiro
Thiago Rodrigues José Carlos Pimenta (Zeca)
Regiane Alves Goretti Cordeiro Bodanski
Otávio Muller Altemir Bodanski
Vivianne Pasmanter Regeane Cordeiro
Felipe Camargo Vinícius Porto de Mello (Portinho)
Otávio Augusto Faustaço Lumbriga
Débora Duarte Tertuliana
Leonardo Medeiros Ramon Piñon
Alessandra Maestrini Beneditta Dittakusnezov (Ditta)
Malu Galli Iolanda Paranhos
Ricardo Blat Fidélio
Genésio de Barros Pasquale
Pascoal da Conceição Zuppo
Edmilson Barros Lindomar Mariano Assunção
Cláudia Missura Lavínnia Palumbo
Jairo Mattos Gaulês (Jean Paul)
Cris Vianna Tita Bicalho
Caroline Abras Katrina
Antônio Fragoso Zapata
Cássio Inácio Tartana
Gilberto Miranda Madrugadinha
Luciana Borghi Bárbara
Joana Lerner Heloísa
Fabrício Boliveira Nabuco Mota
Alexandra Martins Duba Lumbriga (Dulcinólia)
Anderson Lau Okuda
Paulo Leal de Melo Raulzão (Ducha Fria)
Darlan Cunha João Carlos Paranhos (Joca)
Márcio Seixas Frankestein (Frank)
Janaína Ávila Milena Morgado
Rafa Martins Max do Cavaco
Paula Possani Maureen Lobianco
Isabel Lobo Thaís Trancoso
Selma Egrei Tamara Palumbo
Tuna Dwek Justine

Personagens

Leal Hélia Niemann

Nara Zeca Nelinha

Deodora Albano Renato

Tertuliana Portinho Regeane

Goretti Bodansky Iolanda

Gaulês Ditta Ramon

Led Janis Túlio

Faustaço Justine Zuppo
Fonte: Reprodução / Rede Globo

Abertura




Bastidores

Bosco Brasil retorna à Rede Globo fazendo sua estreia como autor titular na emissora, cujo último trabalho foi Coração de Estudante, em 2002, onde foi colaborador. Na sequencia, o autor passou pela Record, onde colaborou no texto de Essas Mulheres e foi co-autor de Bicho do Mato.

A novela começou com promessas de modernidade (como bem sugere o título) e ares de inovação em estrutura teledramatúrgica, vistos em sequencias e diálogos ágeis e em tons irônicos. O autor propunha uma mistura de futurismo (o edifício Titã, o robô Frank e a figura fria e mecanizada da vilã Deodora, de Grazzi Massafera) com tons farsescos e quase caricatos (como os personagens do núcleo da Galeria do Rock, mais precisamente na relação conturbada entre um quarentão roqueiro convicto mas amargurado - Ramon, de Leonardo Medeiros - e uma cantora lírica de sucesso - Ditta, de Alessandra Maestrinni).

Mas a audiência não conseguiu acompanhar. Em pouco tempo, ajustes foram feitos pelo autor e mudaram substancialmente Tempos Modernos. Personagens sairam de cena e outros tiveram características bastante alteradas. O vilão Albano (Guilherme Weber), por exemplo, teve seu fim precipitado, enquanto sua comparsa Deodora deixou de ser uma figura robótica para ganhar ares mais humanos, chegando até a apaixonar-se. O robô Frank também foi desligado, deixando de ser o elo entre o mundo atual e o futurista que a novela propunha. O autor também passou a carregar mais no melodrama, visando chamar audiência. Mas apesar de todas as mudanças, pouco resultado surtiu e a novela terminou com um dos mais baixos índices de audiência para o horário.

Em sua proposta inicial, o humor era o tempero de Tempos Modernos, cuja trama se passa no centro da cidade de São Paulo, mais especificamente dentro do Titã, um edifício "inteligente".
"É vital ir ao centro. Eu observo as mudanças e lembro de momentos importantes que passei por lá. O centro para mim é uma referência", disse Bosco Brasil ao justificar o porquê da escolha de ambientar a novela no centro antigo paulistano.

O dublador Márcio Seixas fez a voz do computador Frank, com quem o protagonista Leal (Antônio Fagundes) dialogava. Márcio é famoso já há bastante tempo na TV brasileira, por ter dado voz ao Senhor Spock do seriado clássico Jornada nas Estrelas, ao Batman e até a Sean Connery.

A atriz Vivianne Pasmanter pediu para se ausentar da novela para resolver problemas pessoais. Na trama, sua personagem, Regeane, sofria um acidente e era dada como morta. Na reta final, a personagem voltou à cena.

A trama teve título provisório de Bom Dia, Frankenstein.

Créditos

Globo - 19h
de 11 de janeiro a 17 de julho de 2010
161 capítulos
novela de Bosco Brasil
escrita por Maria Elisa Berredo, Mário Teixeira, Izabel de Oliveira, Patrícia Moretzsohn, Marcos Lazzarini e Bosco Brasil
supervisão de texto de Aguinaldo Silva
direção de Paulo Silvestrini, Carlo Milani e Luciana Oliveira
direção geral José Luiz Villamarim

0 comentários:

Postar um comentário

Poste aqui seu comentário.